Celebração dos 7 anos do PADE/UFRJ

with Nenhum comentário

Àjóyò Odun Èje PADE na Extensão Universitária 

Sete anos de Integração Universidade – Comunidade de Terreiro

O Projeto em Africanidade na Dança Educação – PADE/UFRJ convida a todos para a celebração dos 7 anos do Projeto a se realizar no Departamento de Arte Corporal (DAC) da Escola de Educação Física e Desportos (EEFD) da UFRJ, Campus Fundão, nos dias 04, 05 e 06 de Setembro de 2017.

Vai ter mesas de debates, espetáculos todos os dias, performances, show musical com muita dança, exposição, comidas de Terreiro e oficinas (percussão, turbante, dança…). Venham!!! 

Pedimos que os interessados nas oficinas reservem suas vagas enviando seu nome completo e a oficina de interesse para o email inscricaopade2017@gmail.com e cheguem no dia até 15 min. antes. Quem não conseguir se inscrever antes pode ficar na fila de espera no dia (por ordem de chegada) e se inscrever nas vagas restantes, ou, caso as inscrições tenham alcançado o limite, aguardar os 15 min antes da oficina na fila, para ficar na vaga de alguém que não tenha comparecido. Qualquer dúvida entre em contato pelo email ou no próprio mural do evento.

Segue a programação completa do evento:

Segunda-feira, 04 de Setembro de 2017.

Dia 4: Abertura da exposição: “Iyálódes Mojubá: Homenagem ao Sagrado Feminino.”
Expositor: Prof. Alexandre Carvalho
Local: Salão Helenita Sá Earp
Dias: 04, 05, 06 de 10h as 18h

A exposição “Iyálódes Mojubá: Homenagem ao Sagrado Feminino” evidencia a presença do poder feminino na construção, preservação e disseminação de saberes, conhecimentos e práticas culturais que compõem a identidade afro brasileira, destacando em tintas, possibilidades de mostrar o mundo que vemos e o mundo que podemos ver; mundos a serem descobertos. Compartilhando pontos de vistas, dimensões, encontros e acolhimentos, alegrias e ensinamentos. A exposição propõe nuances de perspectivas já visitadas e por visitar, tomando vida e convocando ao atravessamento. Convidando a fruir outras estações, navegar o rio e se banhar em outros corpos. Na poética imagética de “Iyálódes Mojubá: Homenagem ao Sagrado Feminino” se revela um canal de sensibilidade propagador de questionamentos e potencialidades.

9h às 10:30h: Mesa “Pade uma Extensão no Olhar para Africanidade”
Após experiências de pesquisa de campo e vivências extensionista no Projeto em Africanidade na Dança Educação, alunos bolsistas da graduação em Dança, funcionários da Escola de Educação Física e Desportos e professores da rede publica, falaram da mudança do olhar preconceituoso em relação à Cultura do Candomblé.
Mesa: Thaisa Faustino, Jacqueline Barbosa, Mirian Miralles, Elaine Aristóteles, Rita Alves e Mônica Luquett 
Mediadora: Regina Ferreira.
Local: Salão Helenita Sá Earp

10:30h às 12h: Oficina de percussão: Jongo corpo tambor

Ministrante: Prof. Alexandre Carvalho
Local: Salão Helenita Sá Earp
Alexandre Carvalho, professor de Folclore Brasileiro do Departamento de Arte Corporal da UFRJ. Coordenador do Projeto em Africanidade na Dança Educação PADE/UFRJ. Dançarino, Intérprete, Coreógrafo, Percussionista, Artista Plástico e Membro pesquisador da Companhia Folclórica do Rio – UFRJ desde 1989, propõe na nesta oficina uma vivência no ritmo do Jongo através dos tambores e cantos.
Vagas: máx. 30 pessoas

12h às 13h – Almoço

13h às 14:30h: Oficina Elegüá
Ministrante: Mirian Miralles
Local: Salão Helenita Sá Earp
Esta oficina propõe uma vivência corporal sobre o movimento do Orixá Elegüá da Cultura Afro Cubana.

14:30 às 15h: Performance: Corpo caminhos.
A Performace coreográfica traz o encontro entre Exú, Elegüá, Unzila. Nas variações dos caminhos do Orixá Exú, no Brasil e em Cuba os corpos encontram-se.
Interpretes: Ivy Brum, Luana Gomes, Mirian Miralles.
Local: Salão Helenita Sá Earp

15h às 16:30h: Mesa – Africanidade: Corpo e Dança.
Profa. Dra. Katya Gualter, Profa. Dra. Tatiana Damasceno e Profa. Dra. Eleonora Gabriel
Mediadora: Prof. Dra. Denise Sá
Local: Salão Helenita Sá Earp

Dra. Katya Gualter
Doutora em Artes da Cena pela UNICAMP e Mestre em Tecnologia Educacional pela UFRJ, membro da equipe proponente dos Cursos Novos Noturnos de Licenciatura em Dança e Bacharelado em Teoria da Dança da UFRJ. Diretora da Escola de Educação Física e Desportos EEFD/UFRJ, é também fundadora e diretora do Grupo PECDAN (PEsquisa em Cinema e DANça)/UFRJ e coordenadora do setor Dança e Cinema dessas Graduações. Diretora, roteirista e produtora executiva de ensaios audiovisuais. Idealizadora e facilitadora: 1- Ciclo de Oficinas: Criações em Dança&Audiovisual, Danças dos Orixás: poéticas em construção; 2- Laboratórios de pesquisas corporais e experimentações audiovisuais. Autora de artigos sobre a Dialogia Dança&Audiovisual a Luz dos Mitos dos Orixás e Simbologias da Pombagira; Organizadora de Anais; Autora
e Produtora de eventos.

Profa. Dra. Tatiana Damasceno
Doutora em Artes Cênicas pela – UNIRIO; Mestrado em Ciências da Arte pela UFF (2003). Professora do Programa de Dança (Licenciatura, Bacharelado e Teoria) do Departamento de arte Corporal da Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Experiência na área de Artes e Educação, com ênfase no ensino, direção e criação artística em dança. É coordenadora do Núcleo de pesquisa em Dança e Cultura Afro-brasileira.

Profa. Dra. Eleonora Gabriel
Douta em Arte – UERJ. Mestre em Ciência da Arte pelo Instituto de Arte e Cultura – UFF em 2003; Especialista em Folclore Brasileiro pela UFRJ. Pesquisadora da Cultura Popular, Coordenadora e Diretora Artística do projeto acadêmico COMPANHIA FOLCLÓRICA DO RIO-UFRJ, grupo representativo da UFRJ na pesquisa, ensino e extensão sobre danças e folguedos populares brasileiros.

16:30h às 18h: Oficina “Ancestralidade no Corpo: danças dos Orixás”
Ministrante: Prof. Alexandre Carvalho

19:30h: ComporAR
Memorial de Trabalho de conclusão de curso do Bacharelado em Dança.
ComporAR é atravessada pela ação de inspirar e expirar, de mover e deixar mover, no entre corpo e em corpo. Entre interior e exterior corpo/ar se faz dança. Dança insuflada em ar, que constrói ritmo, comunica, que incita e abre possibilidades sensitivas.
Aluno: Antônio Jefferson Maciel
Orientador: Professor Dr. André Meyer
Local: Sala 318
______________________________________________________

Terça-feira, 05 de Setembro de 2017

Dia 5: Exposição: “Iyálódes Mojubá: Homenagem ao Sagrado Feminino”
Expositor: Prof. Alexandre Carvalho
Local: Sala da Cortiça
Dias: 04, 05, 06 de 10h às 18h.

9:30h às 11h: Mesa: PADE e a arte como ferramenta identitária: Sua importância na formação acadêmica e cidadã.
A trajetória de alunos e ex-alunos para além dos muros da UFRJ.
Mesa: Ivy Brum, Luana Domingos, Andreza Jorge, Simonne Alves e Cristiane Moreira
Mediadora: Eliane Mattozo.
Local: Salão Helenita Sá Earp

11h às 12:30h: Oficina “Cosmogonia Yorubá e os 4 elementos”
Esta Oficina debruça-se em investigar a materialidade dinâmica do corpo a partir da Cosmogonia Yorubá, tendo nos quatro elementos – água, ar, terra e fogo – potencialidades dinâmicas de movimento que uni a ótica Yorubá, Corpo e criação na poética da cena contemporânea. Assim, a partir de recursos de improvisação, contato e percepção das matérias do corpo, possibilita-se uma criação em que aborde tal cultura com elementos que vão de encontro a ela mesma. Trazendo uma investigação que entrelaça a Cultura Yorubá na cena contemporânea, com elementos que a valorize como mantenedora de um complexo sistema de entendimento da vida material em movimento.
Ministrante: Ivy Brum
Local: Salão Helenita Sá Earp

12:30h às 13:30h Almoço.

13:30h às 15h: Mesa “Pade: Um Encontro entre Comunidade de Terreiro e Acadêmica”
Mesa: Iyalorixá Maria de Xangô, Iyalorixá Nani de Oxum, Iyalorixá Tânia de Jagun, Iyalorixá Marlene de Oxalá e Yalorixá Nara de Oxóssi.
Mediador: Marco Felippe
Local: Salão Helenita Sá Earp

15h às 15:30h: Apresentação musical do Grupo “Obìnrin Iewá”
Local: Hall do Salão Helenita Sá Earp

15:30 às 17h: Mesa “Intolerância Religiosa – desafios e perspectivas”:
Mesa: Babalawô Ivanir dos Santos e Prof.ª Dr.ª Helena Theodora
Mediadora: Raquel Cascaes

Babalawô Ivanir dos Santos
O Prof°. Babalawô Ivanir dos Santos, é Doutorando em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGHC/UFRJ); membro da Associação Brasileira de pesquisadores Negros (ABPN), Pesquisador do Laboratório de História das Experiências Religiosas (LHER-UFRJ) e Laboratório de
Estudos de História Atlântica das sociedades coloniais pós coloniais (LEHA-UFRJ); Coordenador da Coordenadoria de Religiões Tradicionais Africanas, Afro-brasileira, Racismo e Intolerância Religiosa (ERARIR/LHER/UFRJ); Conselheiro Estratégico do Centro de Articulações de População Marginalizada (CEAP); Interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR); Conselheiro Consultivo do Cais do Valongo; Vice-presidente da América Latina no Conselho Internacional das Sociedades de Antigas Religiões de Descendentes de Africanos (ARSADIC), Nigéria. Tem experiência nas seguintes áreas; Educação Étnico-racial e questões africanas, Direitos Humanos e Cidadania; Relações Internacionais; Religiões tradicionais da África Ocidental e Afro-brasileiras.

Prof.ª Dr.ª Helena Theodora
Doutora em Filosofia pela Universidade Gama Filho. Coordenadora do Comitê Pró-equidade de Gênero, Raça e Etnia da Casa da Moeda do Brasil. Ex-Vice-presidente do – Conselho Estadual dos Direitos do negro/CEDINE. Ex-Vice-presidente do Fundo ELAS e Ex-coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (NEAB) da FAETEC. É autora de Mito e espiritualidade mulheres negras (1996), Os ibéjis e o carnaval (2009), Caderno de Cultura Afrobrasileira (2009), Iansã, rainha dos ventos e tempestades (2010) e Martinho da Vila – Reflexos no Espelho (2015). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Teorias da Aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: identidade – valores – religião, comunidade – identidade – ritos –
sexualidade, -educação – processos culturais – comportamento, comunidade – identidade – ritos – sexualidade – e cidadania – direitos humanos – comportamento sexual.

19:30h “Mães da Terra”
Memorial: Trabalho de conclusão de curso do Bacharelado em Dança
Release: Mães da Terra trata de ciclos de renascimento do corpo em momentos diversos: o corpo como matéria da natureza, moldado pela grande mãe ancestral Nanã e compõe um fragmento do macro ciclo de vida e morte da matéria; o corpo como receptáculo de memórias do universo feminino conectado através do tempo e do gesto; o corpo no espaço da festa, lugar onde as existências material e espiritual coexistem ao celebrar o ciclo da vida regido pelas mães ancestrais.
Alunas: Alcione Soares e Gizele Alves.
Orientação: Prof. Dr. Tatiana Damasceno
Local: Salão Helenita Sá Earp
______________________________________________________

Quarta-feira, 06 de Setembro de 2017

Dia 6: Exposição: “Iyálódes Mojubá: Homenagem ao Sagrado Feminino”
Expositor: Prof. Alexandre Carvalho
Local: Sala da Cortiça
Dias: 04, 05, 06 de 10h às 18h.

Mesa: 11h às 12:30h – PADE: Identidade e Pertencimento”:
Palestrantes: André Vinícius, Victor Garcia, Genilson Leite e Bruno Camenietzki
Mediador: Marco Felippe.
Local: Salão Helenita Sá Earp

13:30h às 15h: Mesa “Educação: uma troca de saberes entre Terreiros e Universidade”:
Palestrantes: Profa. Dr.ª Stela Caputo e Prof. Dr. Frank Wilson

Prof. Dr. Frank Wilson
Frank Wilson Doutor em Memória Social (UniRio), Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Tecnologia Educacional nas Ciências da Saúde do NUTES/UFRJ (2004). Tem experiência na área de Educação Física, atuando principalmente nos seguintes temas: Cultura Popular, Folclore, Educação, Dança e Identidade.

Dr.ª Stela Caputo
Doutora em Educação. É professora da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação da UERJ e fotógrafa. Formada em Jornalismo, mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Pós Doutorado em Educação pela UERJ. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Kekéré (pequeno, em Yorubá) com ênfase em pesquisas com crianças e jovens de terreiros dos Candomblés brasileiros. Tendo as crianças e jovens como protagonistas principais da pesquisa, a partir delas e com elas, também pesquisa sobre racismo e ensino religioso. Autora do livro “Educação nos terreiros – e como a escola se relaciona com crianças de candomblé” – cuja produção inaugurou um campo novo de pesquisas no Brasil a respeito
de como as crianças, nas redes educativas dos terreiros, aprendem e ensinam conhecimentos nos terreiros.
Mediador: Prof. Alexandre Carvalho
Local: Salão Helenita Sá Earp

15h às 16:30h: Oficina “Mojubá”
Ministrante: Genilson Leite
Local: Salão Helenita Sá Earp

17:30h às 18h: Oficina de Turbantes
Ministrante: Luana Domingos.
Local: Salão Helenita Sá Earp

19:30h – Aráyé
Memorial: Trabalho de conclusão de curso do Bacharelado em Dança
Aos corpos habitantes do mundo material. À toda matéria viva manifestada. Aos corpos moventes partilhando do profundo prazer de ser/estar em corpo. Corpo feito das raízes da terra, atravessado por oceanos de histórias. Transformado a fogo e levado pelo vento.
Corpo feito e refeito, desejoso. Arayé se faz no corpo habitado de si em diálogo com as forças materiais que o ocupa. Corpo encontrado nos caminhos cruzados de Exú, que ao corpo e pelo corpo se compartilha, multiplica-se, mistura, se funde, cruza-se e se constrói.
Intérprete: Ivy Brum
Intérpretes-músicos: Bruno Camenietzki, Marco Felippe, Kauã Carvalho, Simonne Alves e Xandy Carvalho.
Orientação: Prof. Alexandre Carvalho

______________________________________________________

REALIZAÇÃO: Projeto em Africanidade na Dança Educação PADE/UFRJ

APOIO:
Companhia Folclórica do Rio – UFRJ
PECDAN – Pesquisa em Cinema e Dança
NUDAFRO – Núcleo de Pesquisa em Dança e Cultura Afro-brasileira
LaVida – Laboratório de VídeoDança – UFRJ
LICRID – Laboratório de Imagem e Criação em Dança LICRID
LHER – Laboratório de História das Experiências Religiosas – LHER-UFRJ
DAC – Departamento de Arte Corporal
EEFD – Escola de Educação Física e Desportos
PR5 – Pró-Reitoria de Extensão – UFRJ

Deixe uma resposta