Primeiras Jornadas de Etnomusicología em Córdoba 2016

with Nenhum comentário

Primeiros Dias de Etnomusicología – produção e processamento de espaços nos sons tradicionais da América Latina

Declarações de interesse educacional pelo Ministério da Educação da Província de Córdoba. –  resolução 490/2016

Auditório Conservatório de Música Felix T. Garzón. Cidade de Artes.UPC

Córdoba, 12, 13 e 14 de outubro de 2016

14 DE OUTUBRO

9  hs. Trabalhos de Pesquisa

Presentación de Posters y comunicaciones del panel “Música e Religiosidades de Matrizes Africanas e Afrobrasileiras”

Moderadores: Elisangela de Jesus Santos / María Cristina Giorgi.

¨Manifestações populares recriadas no contexto paulista: Samba das Mina, protagonismo em meio à tradição¨. Mariana de Abreu Campos /Neila Dória de Andrade Silva (Comunicação).

  • ¨Africanas na musica vocal brasileira e a relação BrasilL-África¨. Andrea Albuquerque Adour da Camara (Poster).
  • “Canto de Ossanha” diz, jazz é dança. Aline Serzedello Vilaça/ Elisangela de Jesus Santos (Comunicação)
  •  “Na família de Pombagira”: musicalidade e perfomance no imaginário de Pombagira¨ Aleksandra Stambowisky de Carvalho/ Elisângela de Jesus Santos/ Maria Cristina Giorgi/ Tulani Pereira da Silva (Comunicação)
  • ¨Da Manipulação de Ações e Saberes no Processo do Ensino de Educação Musical¨. Edna Alencar de Castro (Poster e Comunicação)
  • ¨Do axé jitolú para o mundo: Ilê Aiyê, uma releitura do carnaval¨. Geander Barbosa das Merces (Poster)
  •  As mulheres do axé e a musicalidade brasileira¨. Nadson Nei da Silva Souza/ Venina dos Santos (Comunicação)
  •  “Poéticas de Coração: diálogos etnomusicológicos com a arte da Diáspora Africana”. Humberto Manoel De Santana Junior/ Renan Ribeiro Moutinho (Comunicação)

12:00 Performance artística ¨Dona¨. Tulani Pereira.

Esta performance sintetiza de maneira poética e gestual a entidade Pombagira no contexto mítico do cenário religioso e afro-brasileiro da Umbanda. Sua composição cênica evidencia o corpo feminino, suas potencialidades e subversões às dominações patriarcais.

Fonte: http://aladaa.com.ar/asiayafrica/?p=566

Deixe uma resposta